A História dos Cassinos no Brasil

O período dos cassinos no Brasil não durou muito. Mas foi maravilhoso. Tanto no ponto de vista dos cassinos quanto na cultura que se produziu em torno deles. O Brasil chegou a ter mais de 70 cassinos abertos ao mesmo tempo.     

A era de ouro dos cassinos brasileiros foi o início do século XX, especialmente entre os anos 30 e 40. Os cassinos se espalharam por diversos estados, mas o certo é que o Rio de Janeiro, especialmente Copacabana foi o epicentro deste fenômeno. A vida dos cassinos no Brasil durou pouco, a proibição dos jogos de azar acabou no ano de 1917, mas voltou após ordem do presidente Dutra em 1946. Nesses 29 anos muita coisa aconteceu.

Nos cassinos brasileiros eram comuns, além dos jogos de azar, espetáculos de música e dança. Diversos artistas alavancaram as suas carreiras após fazerem sucesso nos cassinos. Os empresários aproveitavam os estímulos dados pelo governo Vargas, mesmo em meio a uma das maiores crises econômicas da história do país, os cassinos explodiam e lotavam com empresários endinheirados. Vamos conhecer alguns deles?

Mont Serrat

No estado de São Paulo os cassinos foram um verdadeiro sucesso, com diversas casas espalhadas pelo estado. A capital e o litoral abrigaram a maior parte dos cassinos, mas ao interior também coube fazer fama com alguns locais de jogos.

Um dos principais cassinos foi o Mont Serrat, fundado por um espanhol que imigrou para o país com apenas doze anos, desde sempre Manoel Vallejo queria enriquecer. Vislumbrou no topo do Monte Serrat uma oportunidade, lá existia uma antiga capela, onde ele decidiu construir seu cassino. O grande problema era o acesso ao topo do morro. Vallejo resolveu então construir um grande elevador, movido por um complexo sistema de cordas.

 Em 1927 o cassino ficou pronto e foi inaugurado, claro que toda a alta sociedade paulista apareceu. O cassino se notabilizou por seus jogos e shows, Carmem Miranda e Francisco Alves foram alguns dos grandes nomes que brilharam nos palcos do Mont Serrat. Vitrais belgas, tapetes franceses, prataria e cristais adornavam o suntuoso cassino.

Atualmente, o espaço onde funcionou o cassino abriga salões para eventos, além de turismo. Os visitantes também podem visitar os salões do antigo cassino, se deliciar em um café ou visitar o santuário de Nossa Senhora de Monte Serrat.

Os principais jogos eram a roleta, o bacará e o tradicional carteado.

O estado de São Paulo abrigou diversos cassinos aos quais se destacam, além do Mont Serrat, o Cassino Paulista e o Cassino Cine-Teatro de Bauru que foi inaugurado pessoalmente por Getúlio Vargas.

O Cassino Paulista abrigava uma badalada casa de show, onde o Can-can francês fazia muito sucesso. Nessa casa especificamente o jogo ficava um pouco de lado, era mais uma casa de espetáculos. Infelizmente, o Cassino Paulista foi destruído por um incêndio. O Cassino Cine-Teatro de Bauru, que guarda uma história interessante, foi construído junto a um asilo-colônia que abrigava pessoas com lepra, eram os próprios pacientes os principais apostadores e espectadores do show. Atualmente um instituto médico funciona no local.

Já o Cassino da Urca

Foi um dos grandes cassinos da história do Brasil. Luxuoso, foi inaugurado em 1933, no espaço onde antes funcionava o Hotel Balneário. O cassino foi frequentado por grandes artistas nacionais como Grande Otelo e Carmem Miranda que tinha show fixo no cassino, além de receber visitantes ilustres como Walt Disney, Maurice Chevalier, Virgínia Lane, Josephine Baker e Bing Crosby.

O cassino possuía salas exclusivas para grandes apostadores, essas pessoas tinham chofer para seus carros, além de acesso exclusivo a barcos que os levavam para o Cassino de Icaraí em Niterói.

Após seu fechamento o espaço passou a ser ocupado pela TV Tupi depois que Assis Chateaubriand comprou o local.

 Copacabana Palace

O grande templo do cassino brasileiro com certeza foi o Copacabana Palace, famoso hotel, em funcionamento até hoje. O local encontrou seus anos dourados quando abrigou um cassino, em seus salões ocorreram histórias que ficariam marcadas para sempre na mente dos brasileiros.

Nos salões do Copacabana Palace passaram centenas de artistas brasileiros e milhares de apostadores que vinham do mundo todo atraídos pelas belezas da cidade maravilhosa, além da oportunidade de jogar nos cassinos. Mármores de Carrara e cristais da Boêmia eram vistos por todos os lados na obra do arquiteto francês Joseph Gire.

Em 1934 o hotel foi palco de um crime quando o então presidente da república, Washington Luis, foi baleado por sua esposa. Ele foi levado às pressas para o hospital e conseguiu sobreviver. Sua esposa, no entanto, morreu quatro dias depois. O laudo policial oficial aponta para suicídio. Essa é uma das histórias que ajuda a colocar o hotel-cassino no imaginário brasileiro.

A primeira celebridade internacional a entrar nos salões do Copacabana Palace foi Albert Einstein, depois outros grandes nomes frequentaram o cassino, tais como Frank Sinatra, Walt Disney, Edith Piaf e Santos Dumont. Depois que o cassino fechou, outras celebridades seguiram frequentando o hotel, inclusive Janis Joplin que fez questão de nadar nua nas piscinas do hotel.

Além de todos os espetáculos artísticos que aconteceram no cassino, um grande personagem nasceu ali. Walt Disney criou Zé Carioca baseando-se nos frequentadores do cassino. E ali nascia o primeiro personagem da Disney 100% brasileiro. Malandro, sambista, de caipirinha na mão e samba no pé. Zé Carioca ensinou Pato Donald a sambar!

O Copacabana Palace não devia em nada para nenhum cassino europeu, e foi a melhor casa de espetáculos da América Latina por um bom tempo. Oferecia diversos tipos de jogos, tais como roleta, bacará, blackjack, entre outros.

Mais Cassinos no Rio de Janeiro

Outros cassinos que se destacaram no Rio de Janeiro foram o Cassino Atlântico, que imitava um navio altamente luxuoso e próximo à orla. Ele foi o cenário do filme “Alô, Alô, Carnaval” assinado por Adhemar Gonzaga e atores como Francisco Alves, Virginia Lane, Lamartine Babo, Carmem Miranda no elenco. Atualmente abriga um hotel.

O Hotel-Cassino Quitandinha ficava em Petrópolis e teve vida curta, durou apenas dois anos. É considerado o maior palácio já construído no Brasil. Com estilo normando-francês a arquitetura chama atenção até de longe. Espelhos, porcelana chinesa, lustres de bronze e muito granito decoravam o cassino. Políticos importantes frequentaram suas mesas, tais como Getúlio Vargas, Juscelino Kubitchek, Fernando Henrique Cardoso, Henri Truman, dos Estados Unidos, Eva Perón, da Argentina, e até mesmo um rei destronado – Carol II, da Romênia.

Além disso, foi nele que ocorreu a assinatura do tratado que colocava o Brasil na segunda guerra mundial e a coroação de Marta Rocha como Miss Brasil.

Atualmente o palácio abriga um condomínio de luxo e um espaço museu para preservação de sua história.

Minas Gerais

Minas é a terceira casa dos cassinos no Brasil. Se destacam dois, primeiro o da Pampulha, que funcionou em prédio assinado por Oscar Niemayer às margens da Lagoa da Pampulha, onde atualmente funciona um museu que exibe um acervo de obras contemporâneas brasileiras.

O outro destaque fica para o Tauá Grande Hotel, em Araxá, que teve um cassino em suas dependências inaugurado em 1944. Pouco se sabe sobre esse cassino já que era proibido tirar fotos dentro da sala de jogos. O hotel segue em funcionamento e tem como principal atrativo as águas termais da cidade.              

Do luxo ao lixo

Com o fim da segunda guerra mundial, o presidente Emilio Dutra cedeu à pressão feita por sua esposa, muito religiosa, e proibiu os cassinos. A medida foi um grande balde de água fria na efervescente cultura nacional que perdeu seus grandes patrocinadores.

Além do choque para a cultura, a medida deixou cerca de 50 mil pessoas desempregadas e levou a falência os grandes empresários que tinham investido milhões na construção dos cassinos, além de ter acabado com um dos principais atrativos turísticos do país.

Futuro dos cassinos no Brasil

Atualmente os cassinos seguem proibidos no país. Porém, já existem diversas leis correndo no congresso brasileiro que pretendem por fim a esse bloqueio. Especialistas da área apostam que em pouco tempo teremos os cassinos de volta.

Os únicos países da América do Sul que não tem cassinos são o Brasil, a Bolívia e a Guiana.

Os jogos disputados nos cassinos brasileiros eram principalmente a roleta e os jogos de carta, você consegue encontrar todos esses jogos com facilidade em cassinos on-line. Pode ir treinando para parecer um especialista quando os cassinos reabrirem. Além dos jogos de azar, sempre teremos a oportunidades das apostas em resultados esportivos, ou em reality shows.

Estas também são formas de apostas que precisam ser estudadas e entendidas para aumentar suas chances de lucro. Por fim, existe a opção de apostar nas loterias estatais, que apesar de terem poucas chances para o apostador, oferecem uma oportunidade para os que gostam da emoção de um sorteio.

Enquanto os trâmites legais correm você pode seguir apostando em cassinos on-line, já que não existe nenhuma lei que proíba as apostas feitas em cassinos on-line que estejam hospedados em outros países.

Gostou desse artigo? compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
Linkdin
Share on whatsapp
Whatsapp